Emiliano

Galeria F

Galeria F: lembranças do mar cinzento

Em capítulos no formato de folhetim, originalmente publicados no jornal A Tarde, de Salvador, entre 1999 e 2009, o jornalista, professor de comunicação e escritor Emiliano José buscou um viés próprio para contar os horrores da ditadura militar, a partir de histórias vividas por personagens da resistência ao golpe de 1964, na Bahia.

A obra intitulada "Galeria F - lembranças do mar cinzento"  passou a ser publicada em volumes separados: partes I, II e III. Galeria F era a ala dos presos políticos da ditadura, na Penitenciária Lemos Brito. Entre eles estava Emiliano José, que lá ficou trancafiado por quatro anos (1971-1974), depois de sofrer na pele o terror da repressão policial-militar, em interrogatórios sob tortura, com mergulhos em tanques, choques, pau-de-arara, entre outras atrocidades.

Das lembranças pessoais da Galeria F, Emiliano passou para as memórias dos que enfrentaram a ditadura. Nem todas se passam, portanto, dentro da penitenciária. O quarto volume, embora disponibilizado logo abaixo, ainda não foi impresso. Trata-se da trajetória de Waldir Pires, ex-consultor-geral da República no governo João Goulart, cassado pelos golpistas já no Ato Institucional 1 (AI-1), exilado no Uruguai e França, que retornou em 1970 ao Brasil, sendo eleito governador da Bahia (1986-1988). É uma obra em progressão.

busca

Participe das redes sociais


Últimos Tweets

fotos de emiliano

Newsletter

newsletter

Cadastrar   Descadastrar